sexta-feira, 26 de junho de 2015

Sapo cozido em água fria

Sapo cozido em água fria


*1-“Em 1548, com apenas 18 anos de idade, o francês Étienne de La Boétie escreveu seu Discurso Sobre a Servidão Voluntária, um texto instigante e corajoso que sustenta a tese de que os escravos são servos por opção.  Amigo de Montaigne, La Boétie foi um dos primeiros a perceber que os governados eram sempre maioria em relação aos governantes, e que, por conta disso, algum grau de consentimento deveria existir para manter a situação de servidão.  O seu texto pode ser entendido como um ataque à monarquia devido ao contexto de sua época, mas não somente isso.  O próprio autor reconhece que o tirano pode ser eleito também, o que muda apenas a forma de se chegar ao poder, e não seu abuso.  O livro, portanto, é uma leitura essencial nos dias atuais, em que governos democráticos avançam sobre as liberdades mais básicas dos indivíduos.”



Agora que já vimos o que Étienne de La Boétie percebeu já em meados do século XVI, vamos ver um conceito semelhante, mas colocado em linguagem popular, que é o de “cozinhar um sapo em água fria”...
Trata-se do seguinte: se você atirar um sapo em água fervente, ele reage e salta imediatamente, tentando sair da panela e se salvar. Porém, se você colocar o sapo numa panela com água fria, e for, lentamente, subindo a temperatura, o sapo ficará la, tranquilamente, até morrer cozido!.
Percepção semelhante deve ter tido Antonio Gramsci, quando recomendou que o processo de sua “revolução cultural” fosse realizado, não tão depressa que causasse reação, nem tão devagar que se tornasse ineficiente.
O que temos observado na nossa sociedade atual nada mais é do que a constatação de que Boétie tem razão, uma minoria esta submetendo a maioria à uma “servidão voluntária”, e que o sapo já esta quase cozido!
Para melhor compreensão do estamos dizendo, recomendamos a leitura, se não do Discurso d Servidão Voluntária de Étienne de La Boétie, pelo menos do artigo do site http://www.mises.org.br/EbookChapter.aspx?id=158
Creio que se você o fizer, perceberá facilmente que estão te cozinhando a tempos em água fria, e tratará de saltar fora rapidamente!
Esse é um exercício de liberdade que ninguém pode fazer por você, é um trecho de estrada que você terá que percorrer em vôo solo. Portanto, coloque-se em ação, leia esses artigos e escape da panela!
Se você não sabe muito sobre Antonio Gramsci, e sua obra, neste vídeo você terá uma aula bastante boa sobre isso, suficiiente para compreender o que ele propõe nos “cadernos do Carcere” e assimilar os conceitos de “revolução cultural e mudança da cosmo visão nas sociedades ocidentais cristãs”. Esses conceitos são ferramentas indispensáveis para entender as modificações que a nossa sociedade sofreu nos últimos 50 anos, e para onde estão pretendendo levala daqui para frente. O Vídeo abaixo também traz uma palestra sobre o Foro de SP, bastante elucidativa! Serão 40 minutos de aprendizado útil, não perca!



*1-  introdução do artigo Apêndice II: ÉTIENNE DE LA BOÉTIE - A SERVIDÃO VOLUNTÁRIA  do site http://www.mises.org.br/EbookChapter.aspx?id=158